• Ana 🐰

Se não falar expludo!

Atualizado: Jul 10

Não tenho paciência para muita coisa, mas discutir com quem olha para a árvore em vez da floresta deve estar no meu top 10 🔥🔥🔥


Com isto do Covid tivemos de mudar de contexto em cima do joelho. Tivemos de nos adaptar a uma nova realidade em muito pouco tempo, mas é assim mesmo que as emergências são. Emergentes! Acho que o termo "estado de calamidade" é bastante claro quanto à gravidade da situação... 😑

Ao falarmos em pandemia temos imediatamente de estabelecer prioridades e a prioridade agora, é, pasmem-se: a saúde. Do país inteiro!

E abraçinhos e festinhas na cabeça ou minis com a comandita toda no fim do trabalho não estão previstas nesta fase. Teremos de aprender a demonstrar afeto SEM contacto físico e nada melhor para aprimorar esta nova skill do que trabalhar online. Interessante até para ensinar às crianças o que é consentimento 💁 #eunaoquerodarbeijosavo #nomoremetoo


Obviamente, este formato não será adequado a qualquer profissão ou contexto. Não vou dizer que é realista um mecânico de camiões ou um estivador trabalhar a partir de casa... Isso era só estúpido. Também percebo que este modelo não seja para todas as personalidades ou "condições tecnológicas".

Eu sou uma self-starter daí que funcione às mil maravilhas comigo, mas se precisas de ter alguém a respirar-te no pescoço para teres o trabalho feito ao fim do dia talvez seja altura de reveres as tuas opções de carreira... Isso ou estás mesmo a precisar de férias.

E não, isto do trabalho remoto, também não é só possível para quem vive em altas vivendas e passa o dia na beira da piscina com chapéu de palha e de sex on the beach 🍹 em riste. Eu vivo num apartamento de meia dúzia de m2, com os meus pais reformados (e que portanto passam muito tempo em casa), 3 gatos e ainda estou a tomar conta dos meus sobrinhos que entraram agora de férias. É possível. É só uma questão de gestão de espaços, tempo, humores e o mínimo de civismo.

E por mais que me digam que "ah e tal eu preciso mesmo daquela rotina de sair de casa, tomar o café na pastelaria X e almoçar no restaurante Y para ser produtivo" eu respondo que às tantas o que é preciso é repensar o estilo de vida tuga e ir buscar inspiração aos escandinavos, que graciosamente fazem o modelo 8-8-8 funcionar. Nós portugueses 🇵🇹, somos, no geral, bons trabalhadores. Somos esforçados. Fazemos muito com pouco.


Vá lá povo, adotemos uma atitude mais progressista e deixemos os velhos do restelo pra trás que é onde eles pertencem, ao passado. São vantagens que nunca mais acabam: menos correria de manhã, mais económico (em combustível, carro e roupa), há menos tempo dispendido em deslocações, os pets agradecem, estamos mais confortáveis (quem não adora trabalhar de calças de pijama? ou de cuecas para os mais arrojados 😝), é melhor para o ambiente, somos mais produtivos e rentáveis do que com interrupções não solicitadas de colegas, existem menos assédios sexuais e até está em cima da mesa - literalmente - a possibilidade de se ter uma alimentação mais saudável e barata.


Para os que defendem que a economia desabava se, de repente, a maioria dos negócios começasse a seguir esta vertente, tenho 3 palavras: impostos caso Amazon. #fightme

Se as empresas online passarem a ser taxadas como as físicas isto dá pra todos. Temos é de acabar com este limbo fiscal e para isso tenho-vos a dizer que a UE já está a dar passos na direcção certa 🇪🇺


E correndo o risco de ser achincalhada na secção de comentários, esta pandemia veio despedir muita gente que estava agarrada a um emprego que detestava e que, por sua vez, a própria empresa já tinha visto melhor futuro na relação. Como aquele casamento em que nenhum dos dois está feliz, mas que ninguém sabe muito bem como acabar porque já há demasiados "nós atados" e enfim... é chato por causa da família e do que os outros vão pensar 😬 #sorrynotsorry

Esta situação vai, em última instância, obrigar muita gente a reinventar-se. A correr bem, vai fazer com que surja uma vaga de empreendedores tal qual baby boomers após a 2da guerra mundial. E no final de contas, vamos perceber que, não só sobrevivemos ao horror do lay-off, como até saímos mais fortes disto.


Despeço-me com um cunho pessoal a uma verdade de La Palice partilhada comigo no outro dia: "O melhor presente não é estar presente, mas sim existir! De preferência, sem Covid."



P.S. Já sabem, se isto da nutrição der pro torto recomendem-me pra assembleia da república. Pode ser que funcione... #votememmim




🎵 este artigo foi escrito ao som da Antisocial de Ed Sheeran & Travis Scott



#covid19 #pandemia #trabalhoremoto #tugas

98 visualizações
 

©2020 por Após a Sopa